Controlar o fluxo exige disciplina e dedicação


O fluxo de caixa é uma das ferramentas mais importantes do gestor financeiro. Além de demonstrar informações cruciais sobre a saúde financeira da empresa, fornece ele também possibilita uma série de análises que podem ajudar na tomada de diversas decisões importantes.

Agora, se engana quem acha que simplesmente controlar as entradas e saídas é suficiente para ter boas análises e controlar o financeiro sem problemas. Para chegar nesse nível existe uma série de dicas rápidas sobre fluxo de caixa que podem ajudar gestores financeiros a tirar o melhor dessa ferramenta.

7 Dicas rápidas sobre fluxo de caixa para gestores financeiros

De maneira geral são dicas simples, mas que nem todo gestor financeiro coloca em prática em seu dia a dia empresarial. Vamos ver cada uma delas agora:

Dica 1. Use a tecnologia ao seu favor

Apesar do fluxo de caixa ser essencial, ainda existem muitas empresas que não tem qualquer tipo de controle financeiro. Se esse é o seu caso, repense rapidamente, porque não saber o que está acontecendo com as suas finanças pode te levar a tomar decisões bastante ruins no futuro próximo.

Uma das melhores formas de controlar seu financeiro com relativamente pouco trabalho é utilizando planilhas prontas ou sistemas profissionais. Na Times Soluções Contábeis nossos clientes contam com soluções de gestão financeira que são simples e objetivas, e ainda, temos o recurso de auxiliar o empresário a trabalhar as informações para chegar nos resultados propostos.

Com ela, o único trabalho é o de preencher os lançamentos de entradas e saídas da planilha. Fora isso você só precisará fazer análises dos resultados obtidos automaticamente.

Dica 2. Categorize suas informações financeiras

Se você já tem uma ferramenta que auxilie no controle financeiro, precisa pensar em quais informações são importantes para a sua empresa controlar. Nesse sentido, categorizar informações vai te levar mais perto de boas análises.

Particularmente, acredito que existam 3 itens essenciais para uma boa organização:

  • Plano de contas – permite análises de quais grupos de receitas ou despesas são mais relevantes
  • Formas de pagamento – te mostra se algum meio de pagamento é mais importante
  • Centros de custo – facilita o acompanhamento de áreas da empresa que possuem receitas e despesas

Dica 3. Acompanhe suas entradas e saídas periodicamente

Se o seu negócio é um varejo ou tem vendas todos os dias, faça um acompanhamento diário. Tente entender dias melhores ou piores (em termos de resultados) para que as boas práticas sejam recorrentes e observar melhorias/novas oportunidades.

Caso a recorrência de vendas e gastos da sua empresa não sejam diários, adote uma periodicidade de acompanhamento que faça sentido para o seu negócio. Pode ser semanal, quinzenal ou até mensal, mas mais do que isso eu não recomendo, pois te afastaria de uma boa análise.

Dica 4. Tenha foco em análises dos principais relatórios financeiros

Existem 2 relatórios principais que precisam ser analisados sempre em conjunto:

  • Fluxo de Caixa: onde demonstra os valores movimentados no mês, com as origens e destino dos recursos
  • Demonstrativo de Resultado do Exercício: é um relatório sintético onde totaliza os valores movimentados, apresenta o ponto de equilíbrio, margem de contribuição, lucratividade, dentre outros.

Ambos vão te mostrar uma forma de analisar suas finanças. O fluxo de caixa te mostra seu resultado pelo regime de caixa, ou seja, apresentando apenas entradas e saídas de caixa. Já o DRE te mostrará um demonstrativo baseado em vendas e compras, independentemente se esse dinheiro tiver entrado ou não no seu caixa.

Além desses 2, existem mais outros dois relatórios que pode te ajudar bastante a entender sua necessidade de capital de giro e de caixa para meses futuros.

  • Contas a pagar
  • Contas a receber

Dica 5. Use gráficos para analisar mais rápido

Acho que você já percebeu, mas todas as dicas tem como base uma boa ferramenta financeira. Seguindo essa mesma ideia, quando você tem uma planilha ou software que já te proporciona analisar seus resultados por gráficos, com certeza perderá muito menos tempo nesse processo.

A ideia é simples, faça um acompanhamento de resultados em uma linha do tempo, conforme mostrado abaixo:

E também faça análises comparativas em um mesmo mês:

Apenas pela análise rápida dos gráficos é possível entender se existem variações positivas ou negativas e se algum grupo do plano de contas está participando mais do que outros.

Dica 6. Defina metas para seus principais indicadores

Para começar, saiba o que realmente importa para a sua área financeira. Como exemplo, vou listar 5 indicadores que eu acho bastante importantes:

  • Receitas
  • Despesas
  • Margem de contribuição
  • Lucro
  • Lucratividade

Agora, só querer não faz com que metas e indicadores sejam alterados ou alcançados e, como de maneira geral a área financeira não é a área que cuida da operação do negócio, pode ser necessário trabalhar em equipe com outras áreas para atingir esses objetivos.

Dica 7. Faça o planejamento e controle orçamentário

Planeje no mínimo seu próximo mês antes dele começar, dessa forma, antes mesmo de seu início você já terá uma boa noção se terá mais receitas do que despesas, se o caixa acumulado será suficiente para pagar as contas do mês e se existe algum problema financeiro em vista.

Para isso, um simples exercício de definição de metas de receitas e despesas pode ajudar bastante.

Na Times Soluções Contábeis temos uma metodologia de trabalho que proporciona todos estes relatórios e indicadores de forma simples e objetiva, e ainda, nossos clientes contam com um sistema totalmente web para acompanhamento destes resultados propostos, onde o empresário pode acessar de qualquer lugar, qualquer horário, on-line, com seu login e senha em nosso sistema, para tomar suas decisões de forma acertada e no momento oportuno.

Conheça nosso trabalho e verá que na Times a gestão é descomplicada.

Soluções com resultado é a nossa missão!

 

Fonte: Blog Luz – adaptado